Veículos brasileiros vão bem nas redes

Publicado no Observatório da Imprensa em 12/12/2015, edição 880

NOVAS TECNOLOGIAS > A TAXA DE ENGAJAMENTO DE USUÁRIOS

Caio Túlio Costa 

No Facebook, os principais veículos online brasileiros, sejam jornais ou portais, conseguem uma taxa de engajamento, na média, quase igual à dos principais veículos estrangeiros. Este e mais uma série de dados comparativos de veículos nacionais com internacionais vêm à luz agora com riqueza de detalhes por meio de um novo sistema de monitoramento e análise da vida digital: o Torabit.

veiculos_eng_nov

O Torabit produz um índice que reflete a taxa de engajamento que surge desse monitoramento. Essa taxa mostra exatamente a compensação de cada veículo pelo esforço realizado no sentido de postar, dialogar, ser compartilhado ou comentado no Facebook, no Twitter e no Instagram. Quanto maior o percentual obtido, mais o leitorado de cada veículo se engajou no online para reproduzir, comentar ou curtir as postagens das publicações analisadas.

No caso do Facebook, a taxa de engajamento é, então, o resultado da soma de curtidas, comentários e compartilhamentos (ou retuítes e favoritos no caso do Twitter) multiplicada por 100. O resultado é dividido pelo total de seguidores (ou fãs) e produz um percentual que, na comparação, revela quem teve maior engajamento no período analisado. Neste caso aqui apresentado, o Torabit monitorou dados de novembro de 2015.

O jornal Meio&Mensagem mostrou com exclusividade na sua edição de segunda-feira (7/12/2015) as atividades em novembro dos principais veículos online no Brasil que usam de forma sistemática os seus canais nas distintas plataformas das redes sociais.

No Brasil, apesar de ter poucos fãs no Facebook em relação aos outros veículos, por exemplo, a versão online do jornal Zero Hora (729.914 fãs em novembro) se mostrou a mais competitiva no trabalho diário com uma média de quase 78 posts por dia no Facebook e uma taxa de engajamento da ordem de 4,39%. O Zero Hora também é o segundo em engajamento no Twitter, mas campeão nas postagens, com uma média de 140 tuítes por dia, coincidindo com o limite de caracteres por post, e uma taxa de engajamento da ordem de 0,40%.

No Twitter, a maior taxa de engajamento, no entanto, ficou com a edição online do jornal O Globo (0,44%).

O “tamanho” médio das taxas variam de uma rede para outra. Se no Facebook as taxas chegam a mais de 4%, no Twitter, entre os veículos analisados, a maior taxa foi de 1,46% (Buzzfeed americano) e no Instagram foi de 8,15% (também do Buzzfeed americano).

Agora, este Observatório traz, também com exclusividade, as comparações de grandes veículos online estrangeiros que, se têm alcance mundial, têm desempenho um tantinho acima dos brasileiros em matéria de engajamento médio no Facebook. Os maiores veículos online brasileiros têm 2,71% de engajamento médio contra 2,92% dos internacionais.

Já no Twitter e no Instagram, os veículos estrangeiros conseguem melhores resultados. No Twitter, os brasileiros têm 0,23% de taxa média de engajamento e os estrangeiros quase o dobro: 0,54%. No Instagram, a média dos brasileiros é de 2,23% contra 4,01% dos estrangeiros – também quase o dobro.

Quanto ao Instagram, no Brasil o campeão de seguidores é o R7, mas o Estadão sai na frente tanto no engajamento (6,35%) quanto na quantidade diária de posts, com uma média de 7 por dia. No exterior, ressalta o desempenho do Buzzfeed com a maior taxa de engajamento deste estudo: 8,15% no Instagram.

***

Caio Túlio Costa, jornalista, é um dos três fundadores do Torabit, ao lado do expert em tecnologia da informação Daniel Amaral e da expert em mídias sociais Stephanie Jorge.

 

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar
, , , ,

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *